BEM – VINDO
O objectivo deste blog é duplo, dar a conhecer Pereiros de Ansiães, a sua história, a sua paisagem, o seu património e as suas tradições; é também uma forma de fazer aquilo que eu gosto, de partilhar emoções e memórias.

domingo, 21 de abril de 2024

"Portas Pretas"

    Alguém me disse, já chegaram as portas da igreja. Pus-me a caminho, subi pelas "portas pretas" em direção à igreja. Não levei a máquina fotográfica, o sol ia alto, não seria uma boa luz para as fotografar. Além disso, ainda tenho de fotografar o teto restaurado que tanto me agradou. Fui à igreja e fiquei maravilhado com as portas! Mas a história não é essa... lá irei à igreja com a luz certa.

    Enquanto descia as "portas pretas" reparei na porta do Sr. Alexandre entreaberta, não estranhei, ainda bem que alguém com a idade dele pode deixar a porta entreaberta. Reparei sim, no arranjo original que ele tinha  naquela velha porta. Fui a casa buscar a máquina fotográfica e, em dois minutos, estava de volta. Só que agora o "dono da casa" estava sentado ao lado da porta.

    Acabei a explicar a razão de estar ali, ao meio da tarde, com a máquina fotográfica na mão. Entre risos disse-lhe, quero que fique no lugar onde estava sentado. Não costumo fazer isto, gosto de fotografia de rostos pela sua expressividade mas não gosto de ser intrusivo na privacidade das pessoas. O Sr. Alexandre é um velho amigo a quem admiro a simplicidade, simpatia, fino trato e o gosto de conversar, coisa que cultivamos um com o outro há muitos anos. 





terça-feira, 12 de março de 2024

segunda-feira, 1 de janeiro de 2024

quinta-feira, 27 de julho de 2023

sábado, 15 de julho de 2023

Poupa 2

 Tinha dito que chegava por este ano mas, os filhotes da poupa fizeram questão de espreitar pelo buraco do ninho e fazer chamamentos constantes por alimento. Estão criados, devem estar a abandonar o ninho! O ninho estava à vista de toda a gente, no forno! Por baixo da janela, mesmo virado para a rua principal.

As crias já abandonaram o ninho mas ficaram por ali, alimentam-se nos quintais e podem estar já a criar noutro lado.





















sábado, 1 de julho de 2023

Poupa

 Na crescente comunidade dos fotógrafos de vida selvagem, da observação de aves e dos adeptos do "rewilding", a  poupa tem um lugar de destaque. Esta atividade, a crescer rapidamente em Portugal, já era uma moda na Europa há muitos anos, estão a ser instalados abrigos de observação e fotografia de aves em parques naturais de forma a observar, divulgar e defender as espécies. É o caso do Parque Natural Regional do Vale do Tua ao qual nós pertencemos. São definidos percursos para caminhada e observação e selecionados pontos de grande abundância ou especializados em espécies naturais onde são instalados abrigos para não incomodar as aves.

A poupa é uma ave de grande beleza, com múltiplos enquadramentos e fotografias inesperadas. Vive muito próxima das pessoas mas é esquiva, desconfiada e esperta. 

Esta tinha um encontro comigo bem perto, quando se vive no meio da natureza, ela vem ter conosco. Foi positivamente este caso. 






A fotografia é o mundo do domínio da luz, por isso, é um compromisso entre o iso, a sensibilidade do sensor de luz, a velocidade do obturador da máquina e a abertura da lente. Mesmo que o equilíbrio seja mantido há, ainda, as limitações da máquina que se usa. Algumas dessas dificuldades estão bem à vista nestas fotos.
Escolheu o buraco para instalar o ninho na rua principal, à vista de toda a gente. Usa uma travessa que liga o campo, onde procura as larvas, assim, basta atravessar a rua!
Habituada a alimentar os filhotes, mudou rapidamente essa rotina. Havia um intruso a espiar a sua vida familiar! 
Deixou de usar a travessa e passou a descer a rua principal. Expunha-se mais mas controlava o espião. Em sinal de defesa e proteção entrava no buraco do ninho e lá permanecia. 
Afastei-me vários dias, não fazia sentido interferir mais. 
Quando regressei, com alguns cuidados, parecia que já me conhecia, com o sol da manhã as fotos saíram ainda melhor, mais intensas e brilhantes.






 
Por este ano chega!!Talvez consiga tirar algumas fotos aos filhotes quando estiverem criados e em liberdade.




As rolas, outrora muito abundantes, têm estado em declínio constante nas últimas décadas. Em Pereiros e no vale do Tua são abundantes. Próximas e familiares são fáceis de fotografar.



quarta-feira, 21 de junho de 2023

Solstício de verão



                                                                            Lua e Vénus


domingo, 18 de junho de 2023

O banho da rabita

 


Apesar do dia atarefado, debaixo de um sol escaldante, ainda houve algum tempo, ao fim da tarde, para testar uma nova ferramenta, uma teleobjetiva 100-400mm. A vantagem desta lente, é ver mais perto mas, também, em fotografia de paisagem, compactar os planos, dar realce ao motivo. Apesar do tempo ser limitado nada melhor que experimentar. Há dois anos, com o objetivo de drenagem do excesso de água da mina, mesmo durante o verão, criei um local privilegiado donde jorra água permanentemente! Um local usado diariamente pelas aves. Ontem, depois de  afugentar duas vezes as rolas e os pintassilgos estarem demasiado atentos e fugidios, a rabita serviu para as primeiras fotos. O banho ao fim da tarde era mais importante que o barulho do obturador. Apesar da máquina fotográfica não ter conseguido acompanhar as cambalhotas e piruetas para lavar todas as penas, algumas fotografias saíram bem.